Logo

Calcificação nas artérias – o que é isso?

calcificação arterial

Você já pegou um resultado de exame e viu que no laudo está escrito: “calcificação nas artérias X ou Y”? E não sabe o que é isso e ficou preocupado?

É muito comum também o resultado:

Então fique tranquilo porque essa é uma condição bastante comum, mas que necessita de cuidados…

E o que é a calcificação arterial?

A calcificação arterial é um processo gradual que acontece na maioria das pessoas. É nada mais que o depósito de cálcio na parede das artérias. Assim, Esse precipitado de cálcio pode se depositar na parte de dentro da parede da artéria causando enrijecimento dela ou na parte de dentro, podendo diminuir a luz das artérias com maior risco de fechamento desse vaso.

Fatores de risco dacalcificação arterial

A calcificação está ligada com a aterosclerose que é a formação de placas de gordura na parede das artérias. A aterosclerose acontece após os 25 anos de idade vai progredindo com o tempo. A calcificação acontece um pouco mais tarde e sobre essas áreas de aterosclerose. Dessa forma, ela seu pico após a sexta década de vida. Está ligada com alguns fatores de risco como:

  • Idade. Então, quanto mais velho ficamos, maior a calcificação das artérias
  • Diabetes. Pacientes diabéticos apresentam maior risco de aterosclerose, mas também de calcificação das artérias, especialmente das pernas. A chamada aterosclerose de Mönckeberg.
  • Insuficiência renal. Então, pacientes com alteração da função do rim apresentam maior predisposição para deposição de cálcio.
  • Descendentes de africanos
  • Pressão alta
  • Tabagismo. Dessa forma, além do maior risco de aterosclerose, o cigarro acelera a calcificação das artérias.
  • Osteopenia e osteoporose

Também existem fatores genéticos associados a maior risco de calcificação e muitos desses estão em estudos. Algumas proteínas que são produzidas por esses fatores genéticos são inibitórias e outras são promotoras de depósito de cálcio. Mas também, algumas medicações com a varfarina, também demonstraram aumento de risco de calcificação quando tomadas por longo período. A calcificação não está relacionada com a dieta que é consumida.

Quais as consequências?

A calcificação das artérias causa diminuição da complacência das artérias. Sendo assim, isso pode dificultar a função do coração agravando a pressão alta e podendo causar, em último caso, insuficiência cardíaca. A calcificação em sua forma mais grave também pode ocasionar entupimento das artérias podendo causar trombose arterial nas pernas, infarto do coração ou derrame.

 A localização das calcificações também é um fator importante. Quando ela acontece nas artérias do coração, pode ser evidenciada no exame chamado “escore de cálcio”. Portanto, quanto maior esse escore, maior o risco de angina e infarto. Por sua vez, nas artérias da aorta, está relacionada com o aumento de risco dilatação, o chamado aneurisma. Assim, nas valvas cardíacas está relacionada com a estenose ou a insuficiência das valvas aórticas e mitral. Por outro lado, nas artérias carótidas (artérias do pescoço) são muito comuns os laudos do ultrassom Doppler constarem: “calcificações ateromatosas nas artérias carótidas internas”. Essa informação significa que essas artérias apresentam-se espessadas e com gordura e cálcio nas suas paredes. Significa que há a necessidade de controle mais intenso dos fatores de risco e, em especial, ao colesterol.

A calcificação ser diagnosticada especialmente nos exames de imagem como o raio X, tomografia ou a ressonância magnética. Assim, evidenciamos claramente esse depósito de cálcio nas imagens e podemos estimar sua evolução com exames seriados.

Tratamentos e cuidados da calcificação arterial

Não há medicação específica para diminuir a calcificação das artérias. A melhor maneira de se evitara calcificação é diminuir os fatores de risco associado a aterosclerose. Dessa forma: não fumar, fazer atividades físicas frequentes, se manter no peso ideal, controlar precocemente o diabetes, a pressão arterial e o colesterol.

Entretanto, alguns medicamentos estão sendo estudados especificamente para a calcificação como bifosfonatos e alguns anticorpos monoclonais. O objetivo é fazer com que se freie ou diminua o processo de deposição de cálcio no endotélio e na camada média das artérias. Alguns estudos em animais mostraram resultados animadores mas ainda não em humanos.

Gostaria de fazer um teste do seu risco cardiovascular? Clique AQUI e cheque.

Dr Rodrigo Biagioni – CRM 105547

Referências:

  1. Zazzeroni, Luca et al. Mechanisms of Arterial Calcification: The Role of Matrix Vesicles. European Journal of Vascular and Endovascular Surgery, Volume 55, Issue 3, 425 – 432
  2. Rennenberg RJ, Schurgers LJ, Kroon AA, Stehouwer CD. Arterial calcifications. J Cell Mol Med. 2010;14(9):2203-2210. doi:10.1111/j.1582-4934.2010.01139.x
  3. Achelli CM. Vascular calcification: an update on mechanisms and challenges in treatment. Calcif Tissue Int. 2013;93(4):365-373. doi:10.1007/s00223-013-9712-z

Veja também

Inchaço nas pernas no calor

?Também tem o fato demorarmos uma eternidade (nos feriados principalmente) para chegar à praia de carro ou de ônibus para quem mora em São Paulo…

Leia mais »

Cuidados com o pé diabético

??Usamos termo “pé diabético” para determinar todas as alterações que podem ocorrer em pacientes com diabéticos por um longo período! ⬇️Dentre elas a mais frequente

Leia mais »